RETIRO ESPIRITUAL AJUDOU A CULTIVAR A ARTE DE AMAR

       O grande psicólogo Eric Fromm escreveu as seguintes palavras sobre o que ele chamou a “arte de amar”: “As pessoas, na nossa cultura, estão tão pouco interessadas em aprender esta arte, apesar dos seus fracassos óbvios. Apesar de uma profunda carência de amor, considera-se que quase tudo é mais importante do que o amor: o sucesso, o prestígio, o dinheiro, o poder – quase toda a nossa energia é utilizada a aprender a atingir esses objectivos, e quase nenhuma é utilizada a aprender a arte de amar”. Contrariando esta observação, cerca de duas dezenas de pessoas, entre os quais dois casais, dedicaram o fim-de-semana de 21 a 23 de fevereiro a aprender a “arte amar” durante um retiro espiritual que teve lugar no Seminário de Leiria promovido pela Fundação Maria Mãe da Esperança.

       Tendo como instrumento de aprendizagem o guião do “retiro popular” da diocese de Leiria-Fátima para a quaresma do presente ano, intitulado “Viver em Família com a graça de Cristo”, os participantes abordaram sucessivamente os temas: “Criados para amar”, “O amor de Deus, fonte da vida familiar”, “Comunhão no perdão e na caridade” e “fortalecer-se na fragilidade”. Palestras, meditação pessoal, momentos de oração e celebrações litúrgicas, diálogo pessoal com o orientador, partilhas em grupo e gestos simbólicos, constituíram os vários fios que teceram a experiência espiritual do retiro. No final, a sensação de enriquecimento pessoal, de pacificação interior e a satisfação pela aprendizagem vivida eram as expressões repetidas pelos participantes.

Padre Jorge Guarda